ESCRITORES

ESCRITORES

O Samba intimista e refinado de Ederaldo Gentil


O Ouro e a Madeira
Não queria ser o mar
Me bastava a fonte
Muito menos ser a rosa
Simplesmente o espinho
Não queria ser caminho
Porém o atalho
Muito menos ser a chuva
Apenas o orvalho
Não queria ser o dia
Só a alvorada
Muito menos ser o campo
Me bastava o grão
Não queria ser a vida
Porém o momento
Muito menos ser concerto
Apenas a canção
[Refrão]
O Ouro afunda no mar, no mar...
Madeira fica por cima, por cima...
Ostra nasce do lodo
Gerando pérolas finas

Ederaldo Gentil Pereira, que ficaria conhecido como Ederaldo Gentil, nasceu no dia 7 de setembro de 1943, no Largo Dois de Julho, um dos tradicionais bairros do centro de Salvador, filho de D. Maria José de Souza (D. Zezé) e Sr. Carlos Gentil Peres, antigo relojoeiro da capital baiana.
Criado no mesmo bairro de nascimento, aprendeu o ofício de relojoeiro trabalhando na modesta oficina do pai, ajudando a sustentar a família bastante numerosa. Adolescente mudou-se para o bairro do Tororó, também na área central da cidade, o mais forte reduto do carnaval baiano da época, e onde tomou gosto pelo carnaval, acompanhando o pai nos bailes à fantasia que eram realizados nos clubes tradicionais da cidade.
Alcione, no disco "A voz do samba", interpretou uma composição sua em parceria com Batatinha, "Espera".Lançou, em 1976, seu segundo disco, "Ederaldo Gentil - pequenino", interpretando diversas composições de sua autoria, como "O rei" (c/ Paulo Diniz), "In-lê-in-lá" (c/ Anísio Félix), "Vento forte" (c/ Eustáquio Oliveira) e "A Bahia vem", em parceria com Batatinha. 
Alcione gravou "Agolonã" (c/ Batatinha)..
Alcione ainda gravou, no ano seguinte, no LP "Pra que chorar", "Feira do rolo" e, em 1978, "A volta ao mundo".
Consagrado na mídia, retoma em Salvador, e ao lado de grandes companheiros do mundo do samba como Edil Pacheco, Batatinha, Riachão, Nelson Rufino, Walmir Lima e outros realiza shows. No final da década de 70, protagoniza ao lado de Edil Pacheco e Batatinha o show O Samba Nasceu na Bahia, que ficaria célebre na história da música baiana.
[...]
Para leitura do texto completo, acesse: [www.youtube.com/watch?v=Y1iwAXMSKmg]

Postar um comentário