ESCRITORES

ESCRITORES

Carrancas do Rio São Francisco: Uma Visão Poética

Carranca - Rio São Francisco - Velho Chico
CARRANCA [dicionário Houaiss]: Rubrica: termo de marinha.
escultura com feições humanas ou animalescas, de corpo inteiro ou na forma de um busto ou cabeça, que ornamenta a dianteira de embarcações a vela, sob o gurupés, e que quase sempre evoca o nome da nau; cara de pau, figura de proa
Rubrica: termo de marinha. Regionalismo: Bahia. 
cabeça de madeira esculpida na proa de embarcações do rio São Francisco, representando animal feroz, supostamente para afastar maus espíritos; cabeça de proa

CONTINUE A LEITURA EM: Ótimas imagens e excelente texto sobre as [CARRANCAS DO SÃO FRANCISCO], Blog [CURIMÃ
VÍDEOS:

EXPOSIÇÃO DE CARRANCAS - [Carlos Drummond de Andrade]

As carrancas do rio São Francisco
largaram suas proas e vieram
para um banco da rua do Ouvidor.
O leão, o cavalo, o bicho estranho
deixam-se contemplar no rio seco,
entre cheques, recibos, duplicatas.
Já não defedem do caboclo-d'água
o barqueiro e seu barco. Porventura
vem proteger-nos de perigos outros
que não sabemos, ou contra assaltos
desfecham seus poderes ancestrais
o leão, o cavalo, o bicho estranho
postados no salão, longe das águas?
Interrogo, perscruto, sem resposta,
as rudes caras, os lenhados lenhos
que tanta coisa viram, navegando
no leito cor de barro. O velho Chico
fartou-se deles, já não crê nos mitos
que a figura de proa conjurava,
ou contra os mitos já não há defesa
nos mascarões zoomórficos enormes?
Quisera ouvi-los, muito contariam
de peixes e de homens, na difícil
aventura da vida de remeiros.
O rio, esse caminho de canções,
de esperança, de trocas, de naufrágios,
deixou nas carrancudas cataduras
um traço fluvial de nostalgia,
e vejo, pela rua do Ouvidor
singrando o asfalto, graves, silenciosos,
o leão, o cavalo, o bicho estranho...


Videomaker e Documentarista, André Fuly forma uma equipe e se embrenha no meio da caatinga no médio São Francisco entre as cidades de Juazeiro da Baiha e Petrolina em Pernambuco, para contar a arte e a história das "Carrancas" figuras de proa que povoam os barcos e as vidas dos ribeirinhos e beradeiros do Velho Chico.



7 comentários:

MOISÉS POETA disse...

Que Maravilha ler Drummond, o Poeta que Costurava as Palavras com Zelo...

Achei muito Bacana as Informações Contidas no Começo da Postagem .

Um Abraço , Luiz !

Anônimo disse...

Adoro Drummond !!

Faz o feio ficar bonito.


Luiz tem um presentinho pra vc no meu blog, passa lá !

bjs

Daniel Savio disse...

Bonita a poesia, mas senão me engano, as carracas eram para espantar mau olhado, e senão me engano, tem uma lenda de um animal o no São Francisco que elas teria o poder de espantar (dando travessia tranquila aos navegantes)...

Fique com Deus, menino Luiz Neves.
Um abraço.

Jão disse...

Simplesmente Drumond, um dos meu escritores favoritos. Bela inciativa essa de divulgar o folclore, a cultura que muitos não conhecem. Bacana de mais.

Abraços!!!

Ariadne Cavalcante disse...

Muito bacana o informativo, sem falar na poesia de Drummond! Muito bom o Drummond! As carrancas da Rua do Ouvidor... Essas eu ainda não vi! E nesssa Rua do Ouvidor tem sim um bar onde sábado sim outro não, uns músicos tocam chorinho que é uma maravilha, , vem gente de toda parte para ouvir os músicos que tocam no meio da rua em frente ao bar! Um show!Adoro! Beijos, Luiz!

Vivian disse...

Olá!!Bom Dia!!

Muito interessante as carrancas!! E Drummond é sempre maravilhoso!!
Vim lhe oferecer o selinho de Natal!!Com meus votos de muitas felicidades!
Um abraço!
Ótima semana!

Anônimo disse...

Oi Luiz,
Todos já sabem que sou deslumbrada por esse poeta, ai Drummond.

Tem selo para você lá em meu blog.
Espero que goste.

Beijos.