ESCRITORES

ESCRITORES

A literatura visceral de Jack Kerouac

"Para mim, pessoas mesmo são os loucos, os que estão loucos para viver, loucos para falar, loucos para serem salvos, que querem tudo ao mesmo tempo, aqueles que nunca bocejam e jamais dizem coisas comuns, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosos fogos de artifício explodindo como constelações em cujo centro fervilhante pode-se ver um brilho azul e intenso..."

Jack Kerouac escreveu On the Road - Pé na Estrada num ritmo frenético em apenas três semanas. Embalado por vinho barato e drogas estimulantes, ele usava um rolo de papel de telex em sua máquina de escrever, para não ter que interromper o fluxo alucinante do seu fôlego narrativo nem sequer para trocar de folha. O resultado foi um texto de linguagem espontânea, em tom confessional, narrando os fatos exatamente da forma como o autor os havia vivenciado.
Como o gemido lancinante e dolorido de Uivo, de Allen Ginsberg, o brado irreverente e drogado de Almoço nu, de William Burroughs, ou a lírica emocionada e emocionante de Lawrence Ferlinghetti, On the Road escancarou ao mundo o lado sombrio do sonho americano. A partir da trip de dois jovens – Sal Paradise e Dean Moriarty –, de Paterson, New Jersey, até a costa oeste dos Estados Unidos, atravessando literalmente o país inteiro a partir da lendária Rota 66, Jack Kerouac inaugura uma nova forma de narrar.
A obra-prima de Kerouac foi escrita fundindo ação, emoção, sonho, reflexão e ambiente. Nesta nova literatura, o autor procurou captar a sonoridade das ruas, das planícies e das estradas americanas para criar um livro que transformaria milhares de cabeças, influenciando definitivamente todos os movimentos de vanguarda, do bebop ao rock, o pop, os hippies, o movimento punk e tudo o mais que sacudiu a arte e o comportamento da juventude na segunda metade do século XX.
Responsável por uma das maiores revoluções culturais do século XX, On the Road – Pé na Estrada volta às livrarias brasileiras na bela tradução de Eduardo Bueno – inteiramente revista para esta edição da Coleção L&PM POCKET, mantendo intacta sua aura de transgressão, lirismo e loucura.

CONTINUE A LEITURA, ACESSANDO:
- [JACK KEROUAC] - AS PEGADAS QUE SUA ESTRADA DEIXOU NA LITERATURA - Por Amália Pimenta, Revista [CP-LITERATURA], ESCALA EDUCACIONAL

- Revista EntreLivros [MEIO SÉCULO DO "PÉ NA ESTRADA"]

- JACK KEROUAC [VIDA & OBRA]



VÍDEOS CORRELATOS: [VÍDEO-1]
Postar um comentário