ESCRITORES

ESCRITORES

Ópera do Malandro - Chico Buarque de Hollanda


Chico Buarque de Hollanda, no musical "Ópera do Malandro", nos dá prova de sua extraordinária capacidade intelectual, trazendo ao público brasileiro um espetáculo teatral cantado e dançado de beleza memorável.
Inspirando-se no clássico de John Gay, Ópera dos Mendigos (1728), e na peça A Ópera dos Três Vinténs (1928), de Bertold Brecht e Kurt Weill, o genial Chico Buarque escreveu este espetáculo musical com ação localizada nos meios cariocas da contravenção e malandragem dos anos 40. A peça, dirigida por Luis Antônio Martinez Corrêa, tem um volume de pesquisa histórica, um estilo literário e um enredo de alta qualidade. Com ela, Chico Buarque recebe novamente os Prêmios Molière e MEC/Troféu Mambembe.
Todas as músicas são da autoria de Chico Buarque que, por sua genialidade, consegue harmonizá-las com o texto, explicando a vida de cada personagem e o real motivo de seu procedimento. A peça, na época em que foi montada (1978), sofreu censura – o que não parece ser muita novidade, nem na carreira de Chico Buarque, nem na história do País. No caso, a letra cantada pela personagem Terezinha teve de ser adaptada. O texto era: "Meu amor tem um jeito de me beijar o sexo, e o mundo sai rodando, e tudo vai ficando solto e desconexo". E passou a ser (como hoje é conhecida pelo grande público): "O meu amor tem um jeito de me beijar o ventre e me deixar em brasa/ desfruta do meu corpo como se o meu corpo fosse a sua casa". 
A "Ópera do Malandro" foi lançada numa época em que a poética de Chico Buarque estava "afiadíssima". Ele compôs quatorze canções inéditas para a peça depois gravadas em disco, e muitas delas se tornaram grandes sucessos.



OUTROS VÍDEOS:

16 comentários:

Uni ver sos disse...

Oi Luiz!!


Gostaria de convidar vc para participar do nosso 2º Amigo Oculto de Natal, as inscrições estão abertas para quem quiser participar, será uma linda festa de confraternização virtual. Para saber mais detalhes e se inscrever passe no meu blog.

Abraços e obrigada!!

Ξ ѕ t є я

Anônimo disse...

Passando para desejar um ótimo domingo!!!
Abraços...

Gisa disse...

Oi Luiz!
Adoro muito a Opera do Malandro. Nunca tive o prazer de assistir a montagem (interior do RS é fogo!) mas tive o LP duplo quando lançaram. Hoje tenho o CD de um das montagens da peça e adoro.
Realmente o Chico é um artista completo e polivalente, adoro toda sua obra.
Um grande bj.

Marinha disse...

Luiz, passei para agradecer tua amizade, mesmo que virtual. Hoje é meu aniversário, e os melhores presentes são as amizades que conquistei.
Um beijo dessa amiga um ano mais feliz.
P.S.: Ópera do Malandro me faz lembrar coisa bem boa e proibida. Chico Buarque é um idolo pra mim!

Flor de Lótus disse...

Oi,Luiz!Chico Buarque é um ícone da MPB,mas como escritor não gostei muito,li Leite Derramado e confesso que esperava mais...
Uma ótima semana!
Beijos

Yon disse...

Chico é um dos meus compositores favoritos! ótima resenha Luiz...
Abraços.

Guará Matos disse...

Realmente uma excelente obra, tanto a escrita e a filmada.
Você tem visão de boa qualidade.

Abraços.

Márcio disse...

Lá em casa também tínhamos o album duplo de "Ópera do Malandro", ouvido e reouvido muitas vezes. O texto me deixou uma dúvida: todas as músicas ou todas as letras são de autoria de Chico Buarque? Que eu lembre, algumas letras foram colocadas sobre música já existente, como no caso de "O Malandro", versão para "Mack the Knife", dos citados Weill e Brecht. Minha preferida no disco sempre foi "Hino de Duran" (letra e música de Chico), em gravação perfeita do autor com A Cor do Som. De que Chico é bom escritor, acho que ninguém duvida. Mas não acerta todas. "Budapeste" é excelente. Já "Estorvo" é obra que pouco ou nenhum prazer proporciona.

Luiz Neves de Castro disse...

Muito bem lembrado Márcio! Hino de Duran é antológica, acrescentei aos vídeos na postagem. Um grande abraço

Pelos caminhos da vida. disse...

Estou participando pela segunda vez do amigo secreto da Ester, e hoje estou visitando os novos participantes, conhecendo seus blogs, e porque não fazer novas amizades não é mesmo?

Fica aqui o convite para conhecer o meu blog Luis será um prazer te receber Pelos Caminhos da Vida. Meu nome é Ana, muito prazer.

Uma boa noite!

beij

Neide Gautama disse...

fikei apaixonada cm tudo q viii...tenho q seguir vc .. rsrrs
beijooos;*

Costurando-Marias disse...

Obrigada pelo carinho, amo essa música do Caetano, "Cajuína".
Abraços infinitos...

Mai disse...

Ele é perfeito nessa "Ópera", Luiz. E aos que questionam seu talento de escritor ei ousaria a palavra polivalência ao Chico. Meu pai me ensinou a gostar de Chico Buarque e nisto eu te garanto ele não teve qualquer trabalho.

Uma beleza de texto.

abraços

Stela disse...

Olá Luiz!

Gostei muito do seu blog! Principalmente pelo ótimo gosto musical e literário!
Beijos

Palavras Vagabundas disse...

Ola, vim retribuir a visita!
Nada como Chico Buarque para despertar lembranças.
abs
Jussara

Adalberto Braga disse...

Passou raspando.
O Chico é um mestre. É arte em música e poesia mas rima, prosa, verso e melodia não é o mesmo que literatura. Por que não iniciar com uma crônica, um conto rápido? Budapeste foi um Estorvo e agora deita-se a chorar o Leite Derramado. Não pude evitar o infame.