ESCRITORES

ESCRITORES

As Lágrimas de Eros - Georges Bataille


“O desejo – a imaginação erótica, a visão erótica – atravessa os corpos, torna-os transparentes. Ou os aniquila. Mais além de você, de mim, pelo corpo, no corpo, mais além do corpo, queremos ver algo. Esse algo é a fascinação erótica, o que me tira de mim mesmo e me leva a você: o que me faz ir mais além de você. Não sabemos com certeza o que é, só que é algo mais. Mais que a história, mais que o sexo, mais que a vida, mais que a morte.” Octavio Paz
Georges Bataille é um pensador das margens. Ele transborda. Não se contenta em ir até os limites da vida, da morte e da literatura que silencia. Ele quer mais. Quer dar um passo além. Ele trans-borda. Ele encontra o impossível cara a cara e fala quando Madame Edwarda abre as pernas. Ele olha o negativo de frente. Como uma metodologia seria segura para desvendar um pensamento sobre o impossível? Definir é pôr um fim, mas como poderia terminar aquilo que está apenas começando? A nossa questão parte de Bataille, e junto com ele percorremos as imagens, encontramos algumas que o mobilizaram profundamente e oferecemos outras ao nos causar um descentramento. O quanto posso penetrar um texto? O quanto posso percorrer um corpo? 

Continue a leitura, em: [repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/129337/328194.pdf], dissertação de Louisy de Limas submetida ao Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina como requisito para a obtenção do Grau de Mestre.

Para saber mais ou comprar  o livro, acesse: 

Postar um comentário