ESCRITORES

ESCRITORES

A Estranha Realidade de José J. Veiga

José J. Veiga - Realismo Mágico, Surrealismo
Há pouco mais de meio século, estreava um dos mais importantes escritores brasileiros contemporâneos: o ficcionista goiano José J. Veiga (1915-1999), nosso primeiro escritor do gênero "realismo fantástico" com a publicação do livro "Os Cavalinhos de Platiplanto" (parece título de livro infantil, mas não é).
Pouco conhecido pelos jovens, J. J. Veiga é considerado um dos responsáveis pela introdução, no Brasil, do chamado "conto fantástico" ou "realismo mágico", de inspiração kafkiana, espécie de subgênero literário que infuenciou uma geração de escritores latino-americanos, dentre os quais se destacaram o colombiano Gabriel Garcia Márquez (1928-2014) e o argentino Julio Cortázar (1914-1984).
A característica principal de seu estilo é a linguagem despojada, sem artificialismos, aproximando-se da linguagem falada. Suas narrativas em geral têm como cenário o meio rural ou pequenas cidades, em que algo incomum, por vezes absurdo, vai acontecer para quebrar a monotonia do cotidiano.
Nos doze contos de seu livro de estreia pode ser percebida a adesão do autor a um projeto literário caracterizado pelo contraponto entre o dia a dia mais corriqueiro e a estranheza, entre o trivial e o esotérico, o real e o surrealismo.
"Os Cavalinhos de Platiplanto", obra aparecida em 1959, conquistava no ano seguinte o Prêmio Fábio Prado, então um dos mais disputados e prestigiados lauréis literários do país, destacando na ficção brasileira de contos, um significativo valor novo, um indiscutível talento de narrador.
Wilson Martins escreveu: José J. Veiga, "liberto das escolas e das modas... deu à literatura brasileira um daqueles livros pessoais e verdadeiramente novos que assinalam a história dos gêneros: ele trouxe a contribuição qualitativa do conto, a do conto mergulhado num mundo próprio, preso a contingências específicas e criando, pela magia do estilo, novos planos da sensibilidade literária".
O romancista Adonias Filho, saudou-o "como um escritor a quem nada falta para a conformação da estória em todos os seus elementos de vivência. É um escritor nato que, possuindo instintivamente a dimensão da cena, nela introduz o acontecimento, as figuras que molda com sangue".
O livro apresenta contos de excelência absoluta (como, por exemplo, A Usina Atrás do Morro e Professor Pulquério) que fazem de "Os Cavalinhos de Platiplanto" uma obra memorável, na qual estão reunidos alguns contos que mergulham o leitor num mundo mágico, fantástico e de rara beleza poética.
Continue a leitura em: [J.J e a Estranha Realidade], Reportagem da [Revista CP-Literatura]

José J. Veiga possui uma qualidade que inúmeros autores gostariam de ter, pois é capaz de agradar tipos muito diferentes de leitores, de jovens estudantes a leitores maduros, de admiradores da prosa fantástica aos fãs da narrativa realista. 
Em 2015, a Companhia das Letras inicia o projeto de reedição da obra completa de José J. Veiga, e convida grandes autores para comentar as obras do escritor e sua importância na literatura brasileira. 
Silviano Santiago faz sua leitura sobre os contos de "Os cavalinhos de Platiplanto", primeiro livro de José J. Veiga publicado originalmente em 1959. Com prefácio de Santiago, "Os cavalinhos de Platiplanto" traz reminiscências da infância em doze contos que apresentam ao leitor um universo que mescla o embate entre os sonhos de seus personagens e a realidade do cotidiano.




Postar um comentário