ESCRITORES

ESCRITORES

Hilda Hilst - Lírica, Erótica, Densa e Obscena


Hilda Hilst - Lírica, Erótica, Densa e Obscena

[...] A obra de Hilda Hilst é, de fato, parte viva do seu próprio tempo. Em um de seus livros mais essenciais, A obscena senhora D, por exemplo, observa-se a intensidade com que, sem excessos verborrágicos, Hilda conseguia escrever. Muito além de se fixar no adjetivo “obsceno” que pode ser redutor se entendido apenas no que o dicionário denota numa primeira leitura, a sugestão é que o leitor avance até o “D”, de desamparo, e descubra aí uma desconcertante reflexão sobre o tempo, a morte e a velhice. Escreve Hilda Hilst a respeito da viúva que, aos 60 anos, decidira morar num vão da escada. Revisitar Hilda Hilst é tirá-la do confinamento ao qual voluntariamente ela mesma se condenou, ainda que com o nobre objetivo de se dedicar com devoção à sua arte. Toda obra de um grande autor tem algumas portas facilitadoras para se entrar numa primeira viagem. Não se aconselha ninguém a conhecer Guimarães Rosa por Grande sertão: veredas, por exemplo. Se num primeiro contato o estranhamento da linguagem de Hilda Hilst pode assustar, vale a pena prosseguir: a viagem que a autora propõe em livros tão diversos é um mergulho profundo nas inquietações da alma humana. E por isso mesmo indispensável.
Leia o texto completo na Revista EntreLivros:
[Em casa com a indomesticável Hilda] - Edição 28 - 2007.




Para saber mais sobre a autora, acesse [www.hildahilst.com.br]
                                                         [www.angelfire.com/ri/casadosol/hhilst.html]
                                                         [youfacebookclip.com/search.php?q=hilda+hilst]
Postar um comentário