ESCRITORES

ESCRITORES

"Como se o mundo fosse um bom lugar"


"Uma história passada em São Paulo. O livro tem o olhar para essa degradação pela qual a cidade passa, seja humana, seja da paisagem. Ando pelo centro da cidade e só consigo pensar que até a decadência entra em decadência." - Marçal Aquino em [Colherada Cultural]

"Uma história de amor que causa uma derrocada familiar" - Marçal Aquino em [Itaú Cultural]

“Minha literatura é a rua; não sou escritor de gabinete. Morar em uma metrópole como esta ajuda: existem muitas fagulhas para a ficção” - Marçal Aquino em [Revista Época-SP]

"Uma das vozes mais contundentes de sua geração, Marçal Aquino revela a contemporaneidade em tudo o que ela traz de violência, amor e perturbação da ordem estabelecida. A literatura é o caminho que baliza as trilhas que segue, numa vida que bem daria um livro ou um filme. Tradutor, revisor, ex-repórter policial, jornalista freelancer, é também roteirista de cinema e televisão, tendo no currículo os bem-sucedidos Os Matadores [1997], Ação entre Amigos [1998], O Invasor [2001], Nina [2004], Crime Delicado [2005], Cão sem Dono [2007] e o premiado Cheiro do Ralo [2007]. Autor, entre outros, do romance Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios [Cia. das Letras - 2005], nesta entrevista ele fala de seus processos de criação, do trabalho em cinema e da literatura brasileira hoje."
Por Micheliny Verunschk em [Marçal Plural] - Itaú Cultural.


Postar um comentário