ESCRITORES

ESCRITORES

A Poética das Canções de Luiz Melodia

"Sobre as letras de suas músicas, Luiz Melodia explica que elas não visam explicar nada, mas sugerem muitas coisas: “As pessoas têm que estar abertas para entender os toques. Não é assim, eu pisei numa pedra e aí nasceu esta frase. É um toque ingênuo, uma coisa poética, das vivências que eu observei.” Daí as frases cortantes, que se unem numa sintaxe própria pelo fio da emoção e do choque; as metáforas carregadas de sentimento – “farrapo humano” – e ambiguidade – “peregrino sábio dos enganos” – e uma sintaxe sensível que indica a presença do blues na alma e nas canções de Melodia. Como no blues, as letras de Melodia não têm uma narrativa linear. Elas exprimem através de fortes imagens, metáforas, frases cortantes, flashes e fragmentos os sentimentos do poeta diante do mundo, de si e do amor, como a cidade com seus anúncios luminosos que ele canta em Onde o sol bate e se firma [1978], sua poética, letreiros luminosos da alma."



O pôr do sol
Vai renovar,
Brilhar de novo o seu sorriso
E libertar
Da areia preta e do arco-íris
Cor-de-sangue, cor-de-sangue, cor-de-sangue, cor-de-sangue
O beijo meu
Vem com melado,
Decorado cor-de-rosa
O sonho seu
Vem dos lugares mais distantes
Terras dos gigantes
Super-Homem, Super-Mosca,
Super-Carioca, Super-Eu, Super-Eu
Deixa tudo em forma, é melhor nem sei
Não tem mais perigo
Digo, já nem sei
Ela está comigo, o som, o sol, não sei
O sol não advinha,
Baby é magrelinha
O sol não adivinha,
Baby é magrelinha
No coração do Brasil...

Para conhecer melhor esse artista genial, acesse:

Postar um comentário