ESCRITORES

ESCRITORES

Parabólicas e Mandacarus - O Jegue Tinhoso - Excerto 3

Parabólicas e Mandacarus - O Jegue Tinhoso

[...] Numa destas viagens, aconteceu mais um fato inusitado provocado pelo jumento Tinhoso, o sabido e teimoso jegue de Chiquinho, aquele mesmo do empacamento ocorrido na igreja tempos atrás. Chiquinho viajava há vários dias e estava carente de aconchego feminino. Estava tão doido por mulher que não esperou chegar a Riopara para então realizar seus desejos com uma das meninas do bordel de Maria Xibiu Seco. Tentou localizar na mata uma cabrita, mas não encontrou nenhuma, procurou também por uma jumenta, e nada.... Tão tarado estava que decidiu se satisfazer com o jegue Tinhoso. O ladino muar, pressentindo as más intensões de seu dono, foi ficando ressabiado e precavendo-se para o pior. Depois de várias investidas de Chiquinho, o jegue resolveu ceder e permitir o coito. Daí veio o inesperado. O jumento trancou o cu durante a penetração e o cacete de Chiquinho só entrou até a metade, permanecendo a outra parte de fora. O pau não entrava e nem saía um milímetro sequer. A malandragem asinina, fez com que, numa atitude tipicamente humana, Tinhoso se dirigisse em marcha acelerada rumo a Riopara para submeter seu algoz ao maior vexame. Chiquinho, parcialmente enfiado no jegue, entrou em pânico quando as primeiras casas começaram a ser avistadas, o ultraje era iminente, a vergonha se desenhava em sua mente. Diante da irredutibilidade do jumento, que de maneira nenhuma folgava o ânus, Chiquinho resolveu apelar para "Nossa Senhora dos Jumentos Desembestados" pedindo clemência e jurando não mais efetuar ato daquela natureza. Enquanto Chiquinho rezava para o jegue folgar um pouquinho e permitir a retirada do pênis entravado no toba cada vez mais retesado do jegue, este também matutava intuitivamente: "não folgo de maneira alguma porque se eu folgar esse miserável enfia a outra metade". E assim, nessa condição vexatória, Chiquinho entrou em Riopara para sofrer achincalhes dos amigos enquanto viveu [...]

Postar um comentário