ESCRITORES

ESCRITORES

Axilas e Outras Histórias Indecorosas


Em “Axilas e Outras Histórias Indecorosas”, Rubem Fonseca abraça novamente o que há de melhor na sua literatura: pequenas escabrosidades do dia a dia, delírios e psicoses típicas da clásse média em franca expansão, frustrações amorosas, etc. Tanto que meus contos preferidos são “Sapatos” e “Gordos e Magros”. Enquanto no primeiro conto “Sapatos” acompanhamos as desventuras de um sujeito que precisa “amansar” um sapato para poder conseguir um emprego, em “Gordos e Magros” acompanhamos a revolução de um chocólatra apaixonado, mas sendo o Rubem Fonseca as coisas para suas personagens nunca são e serão fáceis. A frustração explode em qualquer um, não importa quão gente boa você seja. E não é diferente com Leandro, o protagonista dessa tragicomédia fonsequiana. Os custos de uma paixão podem ser maiores que os benefícios de uma cirurgia para redução de estômago. E saiba: você sai perdendo de qualquer forma. Frase final deste conto? “Não estava feliz porra nenhuma”.
LEIA A RESENHA COMPLETA NO BLOG: [CABARÉ DAS IDEIAS]
Postar um comentário