ESCRITORES

ESCRITORES

Toda Mulher é Meio Leila Diniz - Mirian Goldenberg

Leila Diniz começou a atuar aos 20 anos e participou de cinema, televisão e teatro. No entanto, a musa ficou conhecida pela personalidade ousada e transgressora, se tornando um símbolo sexual.
Para ler um trecho, acesse: [books.google.com.br/books?]

 
 
Como atriz, Leila Diniz não chegou a desempenhar papéis marcantes, que a transformassem numa estrela. O interesse que despertava era por causa do carisma que possuía, das coisas que dizia e do estilo de vida que levava. Bonita, sensual e libertária, falava de amor livre, defendia a liberdade sexual e o direito de escolha das mulheres. Tudo isso lhe custou muito caro. Conseguiu ser odiada pelos moralistas, perseguida pela ditadura, criticada pela esquerda e desprezada pelas feministas, que não a entendiam. Jamais pretendeu fazer qualquer revolução, mas terminou por ser o símbolo de uma, a dos costumes, a da independência feminina no trabalho, no amor e no sexo.
Continue a leitura em: [tvbrasil.ebc.com.br/delapraca/episodio/leila-diniz]

Postar um comentário