ESCRITORES

ESCRITORES

Poesia, Suspense, Tragédia e Sensualidade na Literatura Bíblica

Esta edição analisa a poesia, o suspense, a tragédia e a sensualidade presentes na Bíblia. O maior best-seller de todos os tempos deve sua notoriedade a motivos religiosos. Mas, o conjunto de textos que a integra pode ser apreciado também como literatura. É o que mostram os artigos reunidos neste número e escritos por autores que são conhecedores dos textos bíblicos. Eles mostram que em termos literários, há de quase tudo na Bíblia: parábolas, provérbios, longas narrativas e poemas.
Esta edição especial da coleção Biblioteca EntreLivros da Duetto Editorial não trata de uma única Bíblia. Fosse um trabalho de cunho religioso, poderia ser considerado ecumênico: o leitor encontrará referências à Biblia católica, à hebraica, à protestante. Mas não interessa , aqui, a fé. O recorte é eminentemente literário. Os autores dos artigos - todos profundos conhecedores dos textos bíblicos - também se basearam em várias edições. Em português, é possível encontrar traduções mais ou menos literárias da Bíblia católica. As versões aqui mais citadas são as que valorizam o texto.
O livro de que fala a seguir não é o que descansa dourado no porta-bíblia da sala de estar. É o que está na estante, junto a obras-primas, pedindo para ser lido, não com reverência, mas por puro prazer.

SUMÁRIO
Introdução, por Moacyr Scliar
No fascinante universo bíblico variedade é o que não falta nos livros. São numerosos personagens, narrativas e gêneros - histórias, poemas, ditos, profecias. O Texto é em geral sintético, e não raro há um elemento de suspense. Trata-se de um mundo de mistérios que iluminam e encantam há 3 mil anos.
A qualidade narrativa explica por que um livro que começou a ser escrito há quase 3 mil anos ainda tenha tantos e às vezes tão importantes leitores. Em suma, a Bíblia é um mundo, um universo. Cujos segredos continuamos a desvendar, para nossa iluminação, para nosso encantamento, ou para ambas as coisas.

Antigo Testamento, por Rafael Rodrigues Silva
Estão aí algumas das páginas mais caras da tradição literária:
Os Provérbios- Os provébios nascem da observação da realidade e do comportamento das pessoas. Os ditos e os provérbios são os tijolos com que foram construindo a casa da sabedoria. Em hebraico se diz mashal. Um mashal reflete a experiência de um grupo e representa o esforço do ser humano para defender a vida. Ou, melhor dizendo, a sabedoria nasce do desafio dos problemas da vida.
O Eclesiastes - Existem questionamentos sutis do Eclesiastes às novidades trazidas pela invasão helênica e os sinais de destruição, sobretudo aqueles relacionados com a perda dos grandes valores, tais como trabalho, justiça e solidariedade. A leitura do Eclesiastes, nos desafia a buscar o trabalho sem fadiga e a felicidade humana. Estes são temas caros na Bíblia e preciosidades do seu grande baú. Outras preciosidades estão lá dentro para serem exploradas e descobertas.
Cântico dos Cânticos - Polêmico pelo teor erótico, Cântico dos Cânticos é um livro escrito por volta de 450 a.C, formado a partir de cantos e poemas populares de amor impregnados de intensa sensualidade.

Novo Testamento, por Pedro Lima Vasconcellos
A vida, a morte e as narrativas de Jesus - Uma diversificada reunião de memórias, os 27 escritos, evidenciam a multiplicidade de formas de que se revestiu a experiência cristã originária e servem de ponto de partida para inúmeros desdobramentos literários nas gerações seguintes. Não podem existir escritos mais distintos na forma, no teor e no significado que o quarto Evangelho e o Apocalipse, de João, profeta visionário.

Literatura, por Flávio Aguiar
A influência na literatura do Ocidente - De Dante Alighieri, John Milton e Franz Kafka a José Saramago, o legado literário da Bíblia é amplo e variado. Nas letras brasileiras, José de Anchieta, Gregório de Matos e Oswald de Andrade são alguns dos autores que escreveram páginas que foram inspiradas, direta ou indiretamente, em passagens do livro sagrado.

Música, por João Marcos Coelho
Tudo começa com o canto gregoriano, no século IX, derivado dos cantos hebreus. Do século XVII ao XX, compositores como Bach, Haydn, Mozart e Stravinsky usam a Bíblia como inspiração, seja de modo direto, seja recriando livremente suas passagens. Na história da música, compositores de várias épocas e estilos recorrem ao universo bíblico para criar oratórios, missas, sinfonias e réquiens.

Artes e cinema, por Paulo Ghiraldelli Jr.
A imensa visibilidade dos últimos anos da vida de Jesus, que atigiu o ápice com a morte na cruz, seria, dois milênios mais tarde, explorada de todos os ângulos por Hollywood.
No Novo Testamento, a imagem de Cristo é central. Os artistas que pintaram Jesus, em sua maioria, sentiram a necessidade de expor seu corpo. No cinema, sua vida ganhou várias versões. Em O evangelho segundo Mateus, de Pier Paolo Pasolini, Jesus é temperamental. Na visão de Franco Zeffirelli, em Jesus de Nazareth, Jesus é mais brando, embora não deixe de contrariar seus familiares e de se impor desde cedo. Em A última tentação de Cristo, de Martin Scorsese, existe a disputa entre as vontades de Paulo, já pregador, e de Jesus.

Filosofia, por Paulo Ghiraldelli Jr.
A concepção filosófica pós-moderna, ao fazer distinção mais nítida entre os campos da religião e da ciência, facilita o retorno dos leigos a leituras religiosas antes condenadas pelo espírito positivista. Obras rechaçadas por incompatíveis com o saber podem novamente ser apreciadas do ponto de vista estético e filosófico.
A Bíblia tem sido uma das obras mais beneficiadas por essa abertura. A leitura desse livro, que é sagrado para muitos, não é mais prática restrita às pessoas de fé.
Filósofos contemporâneos não se espantam mais com a eventual penetração da religião no mundo atual. Mas estão preocupados, sim, com o embate desnecessário entre crentes e ateus ou agnósticos. Para eles, o que importa é perceber que se trata de narrativas diferentes que não competem entre si.
Os argumentos de Jesus, muitas vezes, são argumentos antes de um filósofo pragmático que de um pregador religioso.

Postar um comentário