ESCRITORES

ESCRITORES

A Ficção Poética de Micheliny Verunschk

"A poesia para mim é a forma mais eficaz de alcançar algo inatingível, a essência do real ou, antes, o real em essência. É também o único modo pelo qual posso enxergar o mundo. Ela está um degrau acima da filosofia e um degrau abaixo do amor." - Micheliny Verunschk, entrevista blog: [Sambaquis].
[Landy Editora], Coleção Alguidar, o livro de Micheliny Verunschk é obra inovadora e contundente. Bem entende Mário Hélio esta poesia quando diz: “a dor e o prazer estão enredados no mesmo labirinto, se aninham e se fincam na carne ... É emoção concentrada, decantada. Mas com sutis crueldades e poucas concessões ... A música deste livro só se ouve bem se se deixa fluir por todo o corpo”, é o que em poucas palavras essa poesia resume tal o poder de sua linguagem poderosamente expressiva e que, por isso, é capaz de congregar simultaneamente o encantamento, a alegria e o prazer próprios de uma poesia verdadeira. É assim que essa pernambucana, de Arcoverde, vai compondo essa bela Geografia Íntima do Deserto.

Este livro foi finalista ao Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira, tendo ficado entre os 10 primeiros títulos indicados.
Leia entrevista de Micheliny Verunschk ao [Portal Cronópios] e poesias da autora no Portal [Jornal de Poesia]

Veja entrevistas da escritora e poeta ao programa [Encontros de Interrogação] promovido pelo Instituto Itaú Cultural em 2004, e no programa [Entrelinhas da TV Cultura], em 2009.

A Cartografia da Noite, pela Lumme Editor, faz parte de um projeto inicial que previa uma trilogia (da qual o Geografia íntima do deserto seria a primeira ponta). Não sei se desisti da trilogia, mas por enquanto ficamos com esse dueto, visto que o próximo livro de poemas (no qual trabalho agora) chama-se Outra arte e se afasta bastante desse projeto que engloba o Geografia e A cartografia. De resto, esses dois dialogam (desde o título, como se pode perceber) até um certo jogo de claro-escuro, de linguagem e de temática, afinal a noite e o deserto, em alguns momentos, podem ser compreendidos um como metáfora do outro. Alguns poemas que não couberam em Geografia acabaram por aparecer em A cartografia, enfim...
Saiba mais sobre a poética de Micheliny Verunschk em:
[A poesia de Micheliny Verunschk sob a ótica de Octavio Paz]
[Revista Cult » Cartografias poéticas de Micheliny Verunschk]

Blog da autora: [Ovelha Pop]



Postar um comentário