ESCRITORES

ESCRITORES

O Erudito e o Popular na Arte de Antonio Nóbrega



O projeto NOVE DE FREVEREIRO de Antônio Nóbrega (dois CDs, espetáculo e agora DVD) se coloca como ponta de lança dessa espécie de cruzada em prol da afirmação do frevo como uma verdadeira instituição brasileira. Não é comum, e isso vale para qualquer lugar do mundo, uma mesma manifestação cultural abrigar um gênero de musica instrumental (o frevo-de-rua), duas modalidades de frevo cantado (o frevo-de-bloco e o frevo-canção) e uma dança de incomensurável riqueza (como muito bem avaliou Mario de Andrade). Para realizar um espetáculo fiel à grandeza do Frevo, Antônio Nóbrega reuniu uma orquestra de 18 músicos (sopros, cordas e percussão), convocou os quatro dançarinos que habitualmente vem trabalhando com ele, dentre os quais Rosane, sua mulher e parceira insubstituível, e mais um conjunto de quatro cantoras. É com essa trupe ou tropa de quase 30 pessoas ao palco que Nóbrega, conduzido pelo universo-frevo, cria, na verdade, o grande musical brasileiro. [Jornal Folha de São paulo]




Postar um comentário