ESCRITORES

ESCRITORES

A comédia humana - Obra monumental de Honoré de Balzac




Em trinta anos de trabalho duro, assombrado pelas preocupações com dinheiro, Honoré de Balzac [1799-1850] publicou A comédia humana, monumento romanesco sem igual. Em quase uma centena de romances, novelas e contos deu vida a dezenas de personagens que se transformaram em mitos – Eugénie Grandet, o pai Goriot, o coronel Chabert, Eugène de Rastignac, Lucien de Rubempré, a prima Bette etc. Escrevendo obstinadamente, ele buscou a fama, a riqueza e a glória e sonhou com o amor da sua vida: uma aristocrata polonesa com quem se casaria somente às vésperas da prória morte. Balzac, ou o destino de um gênio.
A Coleção L&PM POCKET disponibiliza aos leitores o melhor de A comédia em novas traduções, executadas por algum dos maiores tradutores brasileiros. O último lançamento da série é Eugénie Grandet, um dos textos entre os 89 romances, novelas e histórias curtas que compõem este enorme painel do século XIX que é A comédia humana. Este é o título geral que dá unidade à obra, ordenada pelo autor em três partes: “Estudos de costumes”, “Estudos analíticos” e “Estudos filosóficos”. A maior das partes, “Estudos de costumes”, com 66 títulos, subdivide-se em seis séries temáticas: Cenas da vida privada, Cenas da vida provinciana, Cenas da vida parisiense, Cenas da vida política, Cenas da vida militar e Cenas da vida rural.
Para saber mais sobre a vida e obra de Honoré de Balzac, acesse:




Postar um comentário