ESCRITORES

ESCRITORES

Os contos preferidos de Mário de Andrade

Um Brasil de muitas faces e múltiplas vozes

[...] O que será que esse homem verde-amarelo lia? Que autores privilegiava? Que temas preferia ler na ficção? Essa resposta pode ser respondida com o lançamento do livro Mário de Andrade: seus contos preferidos, que reúne 23 contos de autores variados. A coletânea organizada por Luiz Ruffato é o resultado de uma enquete muito antiga, feita pela Revista Acadêmica, ainda em 1938, cuja questão era: “Quais os dez melhores contos brasileiros?”. Alguns autores fizeram suas listas, tais como Manuel Bandeira, José Lins do Rego, Vinicius de Moraes… Mário de Andrade, no entanto, não obedecendo ao limite, afirmou que sua lista deveria ter pelo menos duas dúzias de contos. O modernista traça um panorama que, a seu ver, mostraria a singularidade da tradição do gênero conto no Brasil. Inicia com Álvares de Azevedo, um dos pioneiros do conto no país, passando depois por Machado de Assis, Artur Azevedo, Monteiro Lobato, João do Rio, Lima Barreto, Alcântara Machado e outros contistas que a tradição não preservou. Mas todos os textos têm características ímpares e representam muito bem esse gênero de narratividade curta, cujo foco recai sobre a cena, o episódio; gênero de narrativa sintética, mas nem por isso, limitada.
E o que contam esses contos? Qual o discurso que eles apresentam? Mário tentou traçar, pelos contos, um país dividido entre o campo e a cidade, o rural e o urbano. É claro que Mário opta por apresentar contos cujo discurso penetra na tradição popular, apresentando um Brasil múltiplo, de personagens variados, de estilos também diversos. É importante, por exemplo, perceber que, apesar de Monteiro Lobato ter sido um dos grandes críticos (destrutivos) do grupo que tentava trazer a modernidade às artes brasileiras, figura merecidamente na lista seu conto “A vingança da peroba”, conto que mais parece um causo, numa linguagem bem coloquial. Isso prova que Mário sabia reconhecer em Lobato traços da modernidade que seu grupo queria propor ao país.[...]

Para ler o texto completo, acesse:

Postar um comentário