ESCRITORES

ESCRITORES

Os poemas urbanos e modernos de Greta Benitez

Os poemas de Greta Benitez são epifanias cortantes, construídos com rigor, humor e uma percepção aguda do universo que ronda o homem (e principalmente a mulher) urbano(a) da modernidade.

Essas estranhas mulheres da cidade
[Essas santas
Suas seitas
Essas santas desfeitas
Santas ao contrário
Mulheres eleitas
Loucas pelo avesso
Enfermeiras
Velhas sereias
Vagam
Loucas pelos desertos da cidade
Doméstica desolada
Mulher de negócios apaixonada
As loiras de farmácia
E as morenas neuróticas
Mulheres da guarda-chuva atravessam a rua
Mulheres gripadas
Mulheres de salto alto
Botas, lenços, batom escandaloso
Mulheres à luz do sol
Essas deusas dançam
O tango do trânsito
Mulheres fatais
Sangue quente, cristais
Mulheres procurando seu cenário
Mulheres saindo do camarim
Todas elas dizem sim
Amigas do Marquês de Sade
Desfilam no meio da tarde
Essas estranhas mulheres da cidade
Mulher-dama
Dominatrix
Mulheres do norte
Mulheres que eram homens
Mulheres sabem a verdade
Essas estranhas mulheres de cidade]

[No meio da noite
a menina perversa descobre surpresa
que é dona da única janela acesa.
Sozinha em seu quarto
rindo das consciências distantes
esconde 30.000 amantes
inquietos e ofegantes
donos de jardins de rosas
e portas da infância
e de todas as noites de inverno.
Às quatro horas da manhã
a garota já está com sono
e permite ser dominada pelos seus olhos fechados
e dorme impune
sentindo o perfume de pêssegos e neblinas
que vem de dentro das meninas]




Para ler outros poemas e saber mais sobre a obra da autora, acesse:
- [gretabenitez.blog.uol.com.br/]
- [blogdotataritaritata.blogspot.com.br/2008/05/musa-da-semana-greta-benitez.html]
Postar um comentário