ESCRITORES

ESCRITORES

K. - Obra ficcional de Bernardo Kucinski que se transmuta numa magnífica aula de História


Editado pela primeira vez em 2011, K. – Relato de uma busca marcou a estreia tardia na ficção do jornalista e professor Bernardo Kucinski, aos 74 anos. A partir de um evento real, o desaparecimento de sua irmã, Ana Rosa Kucinski, creditado ao aparato repressor da ditadura militar, o escritor desdobra realidade em ficção, o que permite ao leitor um contato com um relato que transita entre o testemunhal e o ficcional, identificando passagens históricas referidas no texto, mas ao mesmo tempo se distanciando destas como é próprio da criação ficcional. O enredo está inevitavelmente ligado a uma realidade que é reconhecível, mas Kucinski demonstra que, via discurso literário, é possível subverter o factual em uma instância no qual o engajamento crítico é capaz de mobilizar a leitura para uma realidade política específica, sem que para isso tenha-se que recorrer ao panfletário do discurso político.
K: Relato de uma busca, finalista de prêmios literários, é leitura fundamental para quem quer experimentar boa literatura e conferir uma abordagem rica da História do Brasil. O livro atingiria raro reconhecimento, chegando a se tornar uma das obras indispensáveis da literatura brasileira contemporânea. 
Kucinski vem de uma longa trajetória como jornalista e militante. A ficção surgiu em seu caminho há aproximadamente dez anos, quando passou a assinar como B. Kucinski e apresentar assuntos valiosos para ele sob a forma literária. Não se pode negar, no entanto, o extremo valor de suas histórias para além dos fatores históricos. O estilo seco para tratar de assuntos muito pesados e a costura sagaz da narrativa valem a leitura por si só. Com essas duas qualidades do autor trabalhando juntas, o resultado é implacável.





Leia resenhas de "K." e "Os visitantes", acessando:
[revistacult.uol.com.br/com-os-visitantes-bernardo-kucinski-retoma-eventos-trabalhados-em-k]

Postar um comentário