ESCRITORES

ESCRITORES

A Filosofia de Voltaire em Cândido, ou O Otimismo


Parte do pensamento filosófico de Voltaire foi veiculada por suas peças de teatro e por sua literatura. Nesse sentido, destaca-se a obra Cândido, ou o Otimismo, publicada em 1759. Nela Voltaire se opõe à metafísica de Leibniz, que enuncia que como Deus criou o mundo, e Ele é perfeito e bom, então o mundo é, consequentemente, o melhor mundo possível. "Voltaire critica esse otimismo metafísico de Leibinz a partir das aventuras de Cândido, personagem que, a cada passo que dá, vê-se diante de alguma tragédia. Essa crítica tem relação com o fato de que, para Voltaire, a mera elucubração metafísica abstrata não tem nenhuma relevância e não expõem a verdade do mundo. Assim, Cândido aprende Filosofia caminhando pela vida. "Isso representa que, para o filósofo, filosofar não tem a ver com fazer teorias em um gabinete, muito pelo contrário, trata-se de viver e de agir efetivamente",  sintetiza a professora Maria das Graças de Souza, do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo e especialista em História da Filosofia e Política.
CONTINUE A LEITURA:  Por Maysa Rodrigues em [A FILOSOFIA DE VOLTAIRE], Revista CP- Filosofia

LEIA A OBRA COMPLETA EM: 
[www.ebooksbrasil.org/eLibris/candido.html]
Postar um comentário