ESCRITORES

ESCRITORES

Emoções e sentimentos íntimos na prosa poética de Valter Hugo Mãe



É com lirismo, sensibilidade e coragem imensas que Valter Hugo Mãe compõe um retrato poético, embora nada ingênuo, do mundo moderno. Em O filho de mil homens, cada personagem carrega uma dolorosa e significativa trajetória ─ uma história ao mesmo tempo pessoal e coletiva; uma história composta de escolhas e passos aparentemente individuais, e na qual convencionalismos e preconceitos de uma comunidade interferem ora com crueldade, ora com compaixão.
O seguinte trecho captura de forma exata a essência de O filho de mil homens: “O Crisóstomo disse ao Camilo: todos nascemos filhos de mil pais e de mais de mil mães, e a solidão é sobretudo a incapacidade de ver qualquer pessoa como nos pertencendo, para que nos pertença de verdade e se gere um cuidado mútuo. Como se nossos mil pais e nossas mil mães coincidissem em parte, como se fôssemos por aí irmãos, irmãos uns dos outros. Somos o resultado de tanta gente, de tanta história, tão grandes sonhos que vão passando de pessoa a pessoa, que nunca estaremos sós.”
Conclua a leitura na ótima resenha do Blog : [LIVROS ABERTOS]


Saiba mais sobre a obra em entrevista de Valter Hugo Mãe no Blog da [Cosac Naify]

Postar um comentário