ESCRITORES

ESCRITORES

Só se vê na Bahia [viva a cultura popular]





No livro Bahia de Todos os Santos: Guia de Ruas e Mistérios, Jorge Amado já dizia: “Na Bahia, a cultura popular entra pelos olhos, pelos ouvidos, pela boca, penetra sentidos adentro, determina a criação literária e artística, é sua viga mestra”. Essa cultura tão rica e diversa, fruto da miscigenação gestada na Bahia, é que levou este estado a ser tão singular e, por isso mesmo, imaginário do mundo.
[...]
Dar visibilidade à cultura popular contribui para sua preservação, e uma cultura forte e preservada faz da Bahia um estado forte e permite que ele avance numa linguagem contemporânea, pois a vanguarda bebe na fonte da raiz. Matrizes preservadas, vanguarda forte, se tem onde beber. É preciso pensar nisso. A visibilidade da cultura popular é também importante para que os jovens se interessem por ela.
[...]Viva a cultura popular, viva cada manifestação tradicional. Viva no sentido de saudação, mas também de vivência, de vida. Finalizo esta homenagem citando um trecho da música Só Se Vê na Bahia, de Jorge Portugal e Roberto Mendes, a mais perfeita tradução da beleza de nossas manifestações populares: “...precipício de beleza, reconvexa alegria, ímã de toda utopia, rima de toda riqueza, tudo isso, com certeza, só se vê na Bahia”.
Por: Sérgio Siqueira, produtor cultural, fotógrafo e gerente de produção da Rede Bahia.

Para assistir ao primeiro vídeo da série, acesse:
Postar um comentário