ESCRITORES

ESCRITORES

Fernando Pessoa: Plural como o Universo


[...] Nascido – em Lisboa, às 15 horas e 20 minutos da quarta-feira 13 de junho de 1888 –, Fernando António Nogueira Pessoa segue sendo o fenômeno mais extraordinário da literatura de seu idioma, ombreado com os maiores nomes das letras do século XX e também, ponto fundamental, de qualquer outra época.
[...] 72 heterônimos ■ Independentemente da resposta, o fato é que pelo menos 72 heterônimos – de acordo com o censo de Teresa Rita Lopes, uma autoridade em Pessoa – foram criados pelo poeta para dar vazão a sentimentos que o habitavam, porém nunca teve, por mais paradoxal que possa parecer tal afirmação. Se os houvesse tido, bastaria escrever sob pseudônimo. Entretanto, é cristalino que o fenômeno da heteronímia não escondia a criação poética do “Fernando Pessoa-ele mesmo” por trás de falsas identidades, como no caso de outros autores.[...]
CONTINUE A LEITURA:
Por Rinaldo Gama, em Reportagem da [REVISTA ENTRELIVROS]
Postar um comentário